6 passos para abrir uma franquia no Brasil

Share:

Saiba o que é preciso para ser um franqueado no país


Para muitos empreendedores, abrir uma empresa e desenvolver a ideia conceito do zero, parece um pouco complexo e arriscado . Por esse e outros motivos, no mercado brasileiro, abrir uma franquia é prática comum, pois se trata de um negócio que já foi testado. Apenas em 2019, o setor de franquias expandiu cerca de 7%, segundo dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising). Os números mostram que, também no último ano, foram abertas em média 25 novas unidades de franquias por dia e com a geração de mais de 1,5 milhão de empregos.

Por aqui, a abertura de uma franquia acaba sendo a opção mais viável para empreendedores que preferem investimentos de menor risco, resultados acelerados e também para àqueles com pouco conhecimento de mercado e que desejam investir em modelos de negócio já consolidados. Além disso, em meio às quase 3 mil empresas franqueadas do Brasil, é possível afirmar que a variedade e diversificação também são vantagens do segmento. 

André Friedheim, Presidente da ABF, destaca a importância do mapeamento dos passos para o empreendedor. “Ele precisa compreender que abrir uma franquia exige trabalho semelhante à abertura de um negócio em estágio inicial, e para isso, não podemos pular etapas”, diz.

Existem diferenças pontuais no processo de abertura de uma franquia ao de um negócio do zero, que vão desde documentação, aspectos legais, a taxação, impostos e outros detalhes. Uma das principais diferenças está nos pré-requisitos financeiros: além da taxa da franquia, é preciso ter ao menos 50% do valor de seu investimento inicial a título de capital de giro.

Elencamos os principais passos para a abertura de uma rede franqueada no Brasil, após conversa com Friedheim. Veja abaixo:

Autoanálise

O primeiro passo, segundo Friedheim, é entender se o seu perfil é compatível com o de um franqueado. “Disciplina e resiliência são características essenciais neste ramo, e é preciso compreender que ao investir numa franquia, o empreendedor está investindo em um planejamento de vida”, diz. É necessário entender se conduzir uma franquia é algo compatível com a sua personalidade, rotina e condições financeiras.

Escolha do segmento

Após uma densa pesquisa de mercado e avaliação de riscos, o próximo passo é decidir em qual segmento deseja atuar. A variedade do mercado brasileiro é imensa, com inúmeras categorias à disposição, e, portanto, é preciso ser assertivo na escolha. “Com um mercado multisetorial é importante se atrelar à sua afinidade. Escolha 3 segmentos com os quais você mais se identifica e faça sua pesquisa a partir daí”, aconselha. Segundo Friedheim, o ideal é que seja montada uma operação que caiba no bolso.

Conversa com outros franqueados

Antes de decidir-se pela rede franqueada, é essencial mapear questionamentos, queixas e vivências de outros donos da mesma franquias para esclarecer dúvidas e sobretudo pontuar práticas comuns do dia a dia. Nessas conversas, é possível ter um panorama completo das principais vantagens e também mensurar o grau de satisfação de outros franqueados – o que pode influenciar diretamente na sua decisão.

Cadastro e encontro com a marca

Cada marca possui diferentes formulários de preenchimento. Na grande maioria das vezes, é possível realizar um cadastro online, que pede informações básicas. Se a marca aprovar o perfil do interessado, vai chamá-lo para uma reunião presencial. Após essa reunião, o candidato recebe, a COF (Circular de Oferta de Franquia), que tem todas as informações relevantes sobre a empresa, como o perfil considerado ideal para os franqueados, valores de investimento, modelo de negócios padrão a ser seguido, entre outras coisas. 

Faça uma pesquisa paralela

Uma pesquisa paralela para checagem sobre a rede é recomendada. Como uma continuidade das conversas com outros franqueados, procure entender até mesmo os balanços financeiros do setor e da rede. Após isso, faça uma extensa pesquisa de mercado, buscando entender se determinado segmento é próspero na localidade em que você pretende abrir suas operações. “Faça um estudo do mercado na praça onde você quer atuar”, explica. “Esse tipo de mapeamento é vital na decisão pelo ponto comercial.”

Processo contratual

A minuta do contrato é entregue também após o encontro presencial. Lembre-se de ler atentamente a cada disposição do termo, suas particularidades, cláusulas e possíveis multas rescisórias. Freidheim reforça a importância do acompanhamento de um advogado para o processo de análise e assinatura.

Abrindo uma empresa

Se a sua franquia é uma loja física, com a conclusão da parte processual, é hora de escolher o melhor ponto para se estabelecer e realizar a locação do imóvel. Lembre-se também de avaliar sua a localização permite a expedição de um alvará para o funcionamento do negócio. Evite imprevistos!

Devo abrir uma franquia em tempos de pandemia?

Com a chegada da pandemia, os impactos no setor puderam ser sentidos. No entanto, um relatório também da ABF mostra que traços de recuperação começaram a ser sentidos no mês de junho, com a reabertura de alguns comércios. Aproximadamente 42,7% dos entrevistados acreditam retomar o nível de faturamento que tinham antes da pandemia ainda em 2020.

Com isso, Friedheim, da ABF, destaca que investir na abertura de uma franquia, mesmo em tempos de pandemia, ainda pode trazer inúmeros benefícios. “Momentos de crise são sempre momentos de oportunidade”, diz. Para ele, o franqueado pode tirar proveito da queda nos preços de aluguel de pontos comerciais, e da diversificação de serviços para abrir negócios inovadores e de sucesso.