Como as mudanças na antecipação de recebíveis de cartões ajudam o seu negócio

Share:

Novas regras do Banco Central dão fim à trava bancária e oferecem mais liberdade para você negociar seus recebimentos de cartão.


Uma nova regra de negociação de recebíveis permite que você decida quando e onde antecipar valores a receber de suas vendas feitas no cartão de crédito. A Circular 3.952 e a Resolução 4.734 do Banco Central e do Conselho Monetário Nacional começam a vigorar em 7 de junho de 2021, prometendo muito mais liberdade aos empreendedores.

Conversamos com Henrique Cruz, head de cartões do BTG+ business, e Juliana Zanirato, especialista sênior de cartões da área, para explicar a você o que muda na prática.

Como funciona a antecipação de cartão?

Vamos supor que você fez uma venda de R$ 1.000, parcelada em 10 vezes de R$ 100. Com a antecipação de recebíveis de cartões, você consegue adiantar de imediato o recebimento dos valores que só seriam pagos no vencimento das parcelas.

Essa operação só é possível ser feita diretamente com a credenciadora (empresa da maquininha) ou com um banco, mas para isso é necessário realizar a chamada trava de domicílio bancária. Ou seja, uma garantia para a instituição de que o valor da venda – disponibilizado antecipadamente ao empreendedor – será pago por ele posteriormente.

“Quando faço a trava no modelo que temos atualmente, todas as vendas ficam bloqueadas junto à instituição financeira. Não só aquela venda que foi antecipada ou dada em garantia, mas todas as outras que estão na agenda do cliente, impossibilitando que esse recebível excedente possa ser negociado em outra instituição”, explica Henrique.

Fim da trava bancária

Se até então não havia muitas alternativas para antecipar as vendas, no novo modelo tudo muda. “O fim da trava bancária facilita a vida do empreendedor, porque ele não fica com a agenda de recebíveis 100% travada e tem opções para negociar”.

Na prática, significa que se você tem uma agenda de 100 mil reais para receber em vendas de cartão de crédito, você pode, por exemplo, escolher antecipar 30% com um banco, 20% com uma credenciadora e 50% em outra instituição, sem qualquer impeditivo. Você escolhe de acordo com suas preferências e necessidades do negócio.

Possibilita, também, que o lojista que tem um pedaço da sua agenda dada em garantia para uma negociação de crédito consiga negociar a antecipação dos valores que não estão comprometidos em outras instituições.

Registro de recebíveis

Todo o controle de recebíveis passa a ser feito automaticamente por uma Registradora autorizada pelo Banco Central. Funciona assim: você realiza suas vendas pelas maquininhas e as credenciadoras obrigatoriamente registram essas vendas nessa central de recebíveis. Se alguma antecipação for realizada, o registro também será feito, para deixar claro quais valores ainda estão disponíveis para antecipar.

Qualquer instituição financeira e não financeira poderá consultar a sua agenda de recebíveis, desde que você autorize.

E o que eu ganho com isso?

Ao liberar sua agenda de recebíveis, você pode receber ofertas de antecipação a taxas extremamente atrativas. Sem a trava bancária, você tem controle total sobre as vendas e a liberdade de negociar e escolher a melhor taxa e a melhor instituição para antecipar quantas vendas quiser.

“É importante saber que existem mais opções para antecipar além da empresa de maquininha”, afirma Juliana. Segundo ela, o BTG+ business, por exemplo, oferece facilidade por ter uma plataforma 100% online. Com isso, o próprio empresário pode solicitar a antecipação pelo app ou portal e receber o valor no mesmo dia.

Gravame substitui a trava bancária

No lugar da trava bancária está o chamado Gravame, que nada mais é do que a garantia para uma operação financeira. É parecida com a garantia que já existia antes, mas agora utilizando somente o valor negociado na operação e não mais todos os recebimentos.

Além do Gravame, existe ainda a opção de Cessão, também chamada de troca de titularidade ou antecipação de recebível, que é quando você cede o direito creditório de seus recebíveis para outra instituição, que pode ser financeira ou não. Pode funcionar, por exemplo, para direcionar o dinheiro para o pagamento de dívidas com fornecedores, compra de material, pagamento a funcionários e ajuste no fluxo de caixa. Nesse caso, a titularidade dos recebíveis é transferida do cliente para a instituição que comprou o recebível.

Leia também:

Quer testar a antecipação de cartão com o BTG+ business? Acesse aqui e solicite até às 16h00 para receber no mesmo dia.