Conheça as principais linhas de crédito para produtores rurais

Share:

Créditos de custeio, investimento e comercialização ajudam agricultores a financiar despesas no campo.


Produtores rurais também podem ser considerados empreendedores. Na visão de Vinicius Melo Miranda, Associate Director do BTG Pactual, “eles possuem a capacidade de idealizar, coordenar e realizar serviços e negócios”. Além disso, utilizam seu conhecimento em atividades que resultam em produtos que geram riqueza para a sociedade.

De acordo com o Censo Agropecuário 2017 – o último realizado pelo IBGE -, existem 15 milhões de trabalhadores rurais no Brasil.

Para ajudar esses produtores a financiarem as despesas com insumos no campo, conversamos com o especialista para saber como funcionam as principais linhas de crédito relacionadas à agricultura.

Conheça as três linhas de crédito para produtores rurais

Miranda explica que existem três principais tipos de crédito rural:

Crédito de custeioCrédito de investimentoCrédito de comercialização
Auxilia nos custos recorrentes da produção, como fertilizantes, defensivos e sementes.Financia despesas fixas e semifixas, como compra de máquinas e equipamentos.Viabiliza ao produtor a comercialização de seus produtos no mercado, como, por exemplo, o financiamento para estocagem de produtos.

Por que usar uma linha de crédito na agricultura?

Basicamente, o crédito rural permite que o produtor financie suas despesas com insumos durante o ciclo produtivo e pague o crédito somente após a colheita do seu produto. Esses insumos podem ser defensivos agrícolas, fertilizantes, sementes, entre outros.

“Ao usar uma linha de crédito, ele garante o dinheiro na hora para produzir e ainda pode conseguir um desconto pelo pagamento à vista, comparado à compra a prazo”, diz Miranda.

Sobre o cenário atual do cultivo, o especialista alerta que os preços das commodities, como milho e soja, chegaram a patamares históricos. “Por isso, é necessária muita cautela do produtor para que faça uma boa gestão do seu dinheiro e cresça com responsabilidade”.

Produtor mais digital

Segundo a pesquisa “A mente do agricultor brasileiro na era digital”, da consultoria McKinsey & Company, o Brasil está na dianteira da digitalização agrícola. De acordo com o estudo, 36% dos produtores brasileiros utilizam canais digitais para compra de insumos, enquanto o percentual ainda fica em 24% nos Estados Unidos e 15% na União Europeia.

Além disso, o WhatsApp é o principal meio para as transações digitais. Entre as razões para escolher uma plataforma online, 62% citam a boa experiência do cliente.

Leia também:

Pensando na evolução de experiências online entre os produtores rurais, Miranda cita que a forma de disponibilização de linhas de crédito agrícola também deve mudar em breve.

“As linhas existentes hoje nos grandes bancos são consideradas bastante burocráticas e exigem, muitas vezes, a presença física do produtor em uma agência. Ao permitir que esse processo seja feito digitalmente, teremos mais facilidade e velocidade na concessão do crédito ao produtor”, finaliza.