Empreendedores 40+: 10 dicas de empreendedorismo para você começar agora

Share:

Conheça a história de Andreya Tavares, jornalista que após vinte anos de carreira resolveu ser dona da própria agenda


“Você é louca de largar sua carreira no jornalismo para ser manicure?” – essa é uma das frases que Andreya Tavares ouviu no início da sua jornada empreendedora, aos 42 anos. Ela começou ganhando 25 reais para fazer pé e mão e hoje cobra entre 200 a 5 mil reais para gravar áudios comerciais em um pequeno estúdio montado embaixo da escada de sua casa.

Antes do empreendedorismo, Andreya trabalhou por mais de 20 anos em várias emissoras de rádio e televisão. A jornalista encerrou seu contrato de carteira assinada na Band News, onde começou como produtora e saiu como âncora. O pedido de demissão veio após voltar de licença-maternidade. “Eu saía às 2h para trabalhar, com seis meses minha filha estava na escolinha e percebi que não queria mais aquela vida. Queria ter tempo para minha casa e minha família”, conta Andreya.

De acordo com o Sebrae, a idade média do empreendedor no Brasil é de 44,7 anos. Assim como Andreya, você também pode ter sucesso no seu negócio. Veja 10 aprendizados de empreendedorismo para você começar:

1- Não tenha medo das críticas

Andreya afirma que a maior dificuldade é lidar com o que as pessoas pensam a seu respeito. “O povo achava que eu era maluca: você é jornalista e vai fazer unha? Vou. Vou ganhar menos, mas ser dona do meu nariz”, relembra. Ela observa que não é fácil deixar um salário fixo para começar algo novo, mas, “se você já acorda sem vontade de trabalhar, é melhor sair e traçar outro rumo para a sua vida”.

2- Acredite no que você faz

O início de tudo pode parecer simples: olhar-se no espelho e enxergar seu potencial. “No meu caso, além de gostar de fazer unha, eu sabia que minha voz era boa. Quando vim de João Pessoa para o Rio de Janeiro, montei meu estúdio com o que tinha e fui bater nas rádios de Maricá para me conhecerem”, diz Andreya.

3- Se reinvente em momentos de crise

Quando chegou a pandemia e o comércio da região parou, Andreya começou a divulgar mais seu trabalho nas redes sociais, entrou em grupos de mulheres empreendedoras e fez trabalhos gratuitos para divulgar sua voz. “Trabalhei seis meses em troca de cesta básica, mas hoje tenho um retorno muito maior. Passei a dar mentorias e agora a cidade toda me conhece”.

4- Procure uma paixão que te mova

Para a locutora, a paixão era trabalhar com rádio. “É um lugar onde você faz com que as pessoas imaginem sua história, sua voz, quem você é”. A dica é seguir aquilo que te move e entender o que pode oferecer de bom ao outro. “Quando você trabalha naquilo que gosta e tem um propósito, você não tem dúvidas. Nada te para”.

5- Estabeleça uma meta

Qual é a sua meta? Andreya compartilha que a dela era ter sossego e controle do próprio tempo. “Eu não queria mais trabalhar para os outros. Ser submetida a horários absurdos – sábado, domingo, feriados. Quando vi a oportunidade de vender a minha voz comecei a focar nisso”.

6- Invista no seu aprimoramento

À medida que foi ganhando dinheiro pelo seu trabalho, Andreya foi estudar dublagem, fez curso de teatro e tirou o registro de atriz. Aprimorar-se e buscar conhecimento é fundamental no processo empreendedor. O mesmo para investir: não tenha medo de gastar se isso significar qualidade na entrega para o seu cliente.

7- Tenha responsabilidade

Ela destaca que, como empreendedora, se não trabalha, não ganha, e por isso é necessário ter responsabilidade. Mas, além do retorno financeiro, existe o emocional. “É libertador ser dona da sua agenda. Eu vi minha filha crescer, hoje ela tem 8 anos. Posso ficar em casa quando ela está doente”.

8- Avalie quanto seu público pode pagar

“Eu cobro caro, mas de quem pode pagar”, diz Andreya. Ao mesmo tempo em que já prestou serviços de graça na igreja e trocou comerciais por camisetas ou outros serviços, ela cobra um cachê alto para grandes clientes. Definir o seu público-alvo é fundamental para estabelecer preços e saber negociar.

9- Estipule horários

A jornalista entrava às 4h no emprego fixo, mas hoje trabalha de segunda a sexta, das 8h ao meio-dia. “Se recebo um pedido ao meio-dia e um, retorno no dia seguinte”. Aqui, a recomendação é ter organização e autodisciplina, impor limites e estipular horários para não misturar a vida pessoal e a profissional.

10- Persista no sonho

“Você vai começar pequenino. Não vai ganhar 10 mil por mês, a não ser que alguém invista em você”, diz Andreya. Até engrenar, ela lembra que não foi fácil. “Eu tinha um computador pequeno, um headset e uma placa de som de 10 reais. Entrava dentro do armário para não gravar com barulho. Hoje gravo do estúdio da minha casa para o país inteiro”. O importante? Não desistir!

Você no PME insights

Gostou da história de empreendedorismo da Andreya? A sua também pode aparecer aqui! Basta escrever uma mensagem para nós no Você no PME insights.