Energia solar por assinatura: tecnologia que reduz gastos e ajuda na preservação do meio ambiente

Share:

Startup brasileira Solar21 é pioneira na oferta de planos de assinatura de energia solar por meio de contratação 100% digital


Como surgiu a Solar21

Você já ouviu falar em energia solar por assinatura? Essa é a proposta da Solar21, startup brasileira que aposta no aluguel de placas fotovoltaicas para captação de energia solar em residências, condomínios e estabelecimentos comerciais. A empresa trabalha com a modalidade rooftop, em que as placas são instaladas no telhado da unidade. O objetivo é oferecer um acesso mais fácil e simplificado a energias sustentáveis e incentivar a adoção da energia solar – e tudo isso promovendo uma economia no consumo mês a mês.

A ideia nasceu em 2015, inspirada no modelo americano de leasing, uma espécie de empréstimo de bens que anula a necessidade de investimento na compra de produtos e inclui a prestação de serviços. Engenheiro Eletricista por formação, Vinicius Ferraz, fundador e CEO da empresa, sentiu-se incomodado com a disparidade na oferta do serviço de energia solar do Brasil em comparação com Estados Unidos. “Na época, enquanto existiam cerca de 1 milhão de plantas solares instaladas nos EUA, aqui existiam pouco mais de mil”, diz.

Apesar da desvantagem mercadológica, o fundador percebeu o potencial de crescimento do setor. “Desde aquela época, sabíamos que esse setor cresceria muito. No Brasil, ainda estávamos engatinhando nisso, mas as previsões eram muito positivas”, explica. As empresas que ofereciam esse serviço aqui não priorizavam a experiência do consumidor e para adquirir o sistema solar era necessário um alto investimento. Então, enxergamos uma oportunidade em entregar uma solução mais acessível e menos burocrática” conta o empresário.

O primeiro investimento-anjo veio de amigos e familiares, e aconteceu ainda em 2017, no valor de R$110 mil – o que impulsionou a startup ao seu primeiro projeto; em 2018 recebeu mais de meio milhão de reais e em 2020, R$ 1,2 milhão- ambos aportes por meio de um equity crowdfunding (plataforma de investimentos online). Hoje, a startup atua nos estados da Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal.

A contratação de energia solar a partir de uma plataforma digital

De acordo com o empresário, ao longo dos anos, a Solar21 se tornou muito mais do que uma empresa de aluguel de placa solar. A startup é hoje a primeira empresa brasileira a oferecer uma plataforma digital de contratação de energia solar por assinatura, fugindo do tradicional modelo de compra, que é predominante entre as mais de 14 mil companhias de energia solar do país.

O empreendedor explica que o padrão oferecido hoje pela maioria das empresas do segmento consiste em planos de até 60 meses. Apenas ao final desse período e com o fim do financiamento, o consumidor tem 90% de economia mensal na conta de luz. Enquanto quem optou por assinatura, terá sempre até 30% de economia mensalmente, além de não ter preocupação com manutenção ou eventuais trocas de equipamentos.

Instalação da Solar21 em um condomínio residencial em Brasília.

O investimento médio para a aquisição de placas solares residenciais hoje no Brasil é de R$ 25 mil, enquanto os planos de assinatura residenciais da Solar21 variam de R$300 a R$350 por mês, para uma conta de energia equivalente a R$500.

No início de ano, a startup passou a desenvolver uma plataforma online onde o consumidor pode simular, acompanhar e concluir todo o processo digitalmente. A plataforma permitirá a adesão ao serviço, a simulação da economia, a escolha do plano, o agendamento da visita técnica, a assinatura do contrato e até mesmo o acompanhamento do consumo – tudo online. “A cereja do bolo da Solar21 é de fato a integração de vários sistemas que permitem uma jornada do cliente centralizada, simplificada e desburocratizada. Tudo pensando no contexto da transformação digital, oferecendo uma melhor experiência para o consumidor”, diz Ferraz.

Experiência do consumidor em primeiro lugar

Para Ferraz, o desenvolvimento da plataforma é uma maneira de unir o desejo de ter hábitos mais sustentáveis ao perfil do consumidor atual, cada vez mais moderno e com tendências ao uso de tecnologias – como aplicativos digitais. “Acreditamos que a composição entre um produto acessível e a tecnologia permite uma experiência diferente e de melhor qualidade para nossos clientes”.

Para o próximo ano, a Solar21 tem planos ambiciosos de expansão. Segundo Ferraz, a empresa está determinada a entrar no segmento B2C, passando a atender pessoas físicas e planos residenciais. “Prevemos, para 2021, a média de 600 instalações por meio dos planos de assinatura, e cerca de 600 instalações que serão frutos do financiamento dos equipamentos”. Hoje, a plataforma ainda não permite a compra das placas solares e, segundo Ferraz, essa também será uma inovação da empresa para o futuro próximo. A startup planeja também oferecer planos de manutenção preventiva e corretiva de baixo custo.

Ainda para o ano que vem, a startup pretende ampliar a atuação para a capital paulista, macro região de Campinas e região metropolitana de São Paulo, além das cidades de São José dos Campos, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto. “Temos um plano de expansão muito bem detalhado, que ataca 3 regiões do Brasil. Nosso objetivo é sempre crescer de forma radial, consistente e se tornar um big player do setor no Brasil”, conta.