Guia prático da gestão empresarial: tudo o que você precisa saber para controlar o seu negócio

Share:

Entenda o que é - e como fazer - uma boa gestão em sua empresa


Os desafios da gestão de um negócio são muitos, e vão desde índices de fechamento até dificuldades enfrentadas por diversos setores na burocracia. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), cerca de 75% das empresas brasileiras fecham após o segundo ano de existência. Esse é um dado relevante e que elucida consequências desastrosas de um gerenciamento falho no país. Pensando nessa realidade, que atinge milhares de empreendedores em todo o Brasil, construímos esse guia com dicas práticas de gestão empresarial – que abrange desde gestão de pessoas a gestão de capital – capazes de te ajudar em sua jornada, garantindo a continuidade da transformação de todo o mercado nacional.

O que é gestão empresarial?

Pense na gestão empresarial como um grande guarda-chuva estratégico. Embaixo dele há toda a visão de negócios da sua empresa, seus processos, controle das finanças e até gestão de pessoas. 

Sabemos que nem sempre um empreendedor é um gestor de negócios. O dono de um negócio não necessariamente tem uma formação financeira, ele pode simplesmente ter tino para os negócios, ser muito bom em vendas, ou até mesmo ter encontrado uma oportunidade e decidido apostar nela. Independente de com qual dessas situações você se identifique, é importante pensar que um empreendedor precisa ser multidisciplinar, ou seja, dominar áreas diferentes – ao menos que um pouco. 

Para Ricardo Teixeira, coordenador acadêmico do MBA de Gestão Empresarial e Financeira da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o essencial no controle dos negócios é saber identificar as necessidades. “O grande objetivo da gestão empresarial é conduzir a empresa ao sucesso”, diz. Para ele, as três áreas da gestão empresarial que cobrem todas as demais são: gestão de pessoas, a gestão financeira e também a estratégia de marketing. 

“Aplicar a gestão empresarial é o princípio básico da existência de toda empresa e passa por todas as áreas dela”, explica. “Empresas de todos os portes e segmentos precisam de gestão, controle e análises estratégicas.”, completa. Segundo ele, é importante destacar que até mesmo os microempreendedores individuais (MEIs) que administram empresas por conta própria precisam avaliar a estratégias eficazes de gestão, a fim de manter a sustentabilidade do seu negócio. É válido lembrar que dominar um pouco de cada área não significa estar à frente de tudo. Você pode – e deve – buscar pessoas para o seu time para ajudar a administrar as diferentes áreas: contabilidade, gestão de pessoas, comunicação, negócios, entre outras.

Seja para as pequenas e médias empresas ou para empreendedores individuais, uma recomendação interessante, segundo o especialista, é recorrer a serviços de consultoria. “Sabemos que para as PMEs, muitas vezes os recursos são escassos e equipes são enxutas, isso acaba sendo mais barato e mais produtivo do que deslocar alguém da sua própria equipe interna”, diz. Nesses casos, contratar uma empresa especializada em planejamento e contabilidade financeira é uma saída viável.

Investimento em ações que não surtem efeitos, corte de equipe, manter equipamentos obsoletos e erros na contabilidade financeira. Essas são apenas algumas das falhas comuns no dia a dia de empresas e consequências resultantes de uma gestão mal executada. No que diz respeito à gestão de pessoas, falhas na mensuração de resultados e remunerações incompatíveis com o mercado são outros exemplos.

Por onde começar?

O primeiro passo para os pequenos empreendedores, segundo Teixeira, é realizar o planejamento estratégico com foco em marketing e vendas. Para isso, é preciso responder à seguinte pergunta: “O que mercado quer comprar, e que posso oferecer?”. Após isso, é preciso entender o tamanho do mercado no qual você irá competir, para então ter uma visão clara dos seus diferenciais competitivos.

O que é essencial para gerir uma empresa?

A tecnologia tem um papel fundamental nisso. Em complemento às ferramentas de acompanhamento de KPIs, controle financeiro e gestão de pessoas está a possível automatização de processos de compras e vendas, logística, entre outros. Essa automatização facilita o dia a dia gerencial e encaminha a organização para um destino de sucesso. “Hoje, empresas que não reconhecem a necessidade e importância de priorizar a transformação digital ficarão para trás”. Hoje, existem diversos tipos de software no mercado capazes de mapear em tempo real, sistemas, planilhas e outras informações, tornando o controle administrativo e financeiro mais simples, com informações à disposição de forma mais ágil. Com a pandemia, as tendências de digitalização foram aceleradas em ao menos uma década, pontua o especialista. 

No caso das PMEs, há alguns pontos que devem ser levados em consideração na gestão empresarial. Segundo Teixeira, é preciso prestar muita atenção na área financeira. “Ela deve receber uma atenção especial. Ela é o coração que mantém a empresa viva”, diz. Contudo, as áreas de marketing e vendas também não devem ser negligenciadas. “Uma boa gestão financeira, mantém a empresa de pé em contextos de crise e uma boa gestão de pessoas mantém a equipe motivada e retida”.

Os investimentos em digitalização, no entanto, não são uma realidade viável para grande parte das empresas, sobretudo as companhias em estágio inicial e com baixo faturamento. Em um cenário de crise econômica necessários reajustes de orçamento, Teixeira destaca 3 estratégias para gerenciar empresas, mesmo com recursos limitados. São elas:

Estar presente – e ativo – nos canais digitais
No caso de empresas em fase inicial, já começar com uma boa presença digital é essencial para conseguir prosperar e popularizar a sua marca – ou sua empresa – independente de estar com pontos físicos de vendas e serviços abertos. “Hoje, o consumidor sempre faz a busca online antes de se deslocar até o comércio. ocê precisa ser encontrado nesse universo”, pontua.

Faça contratações estratégicas
Segundo Teixeira, a escolha da equipe interna da empresa é vital para o seu sucesso. Para ele, a essência do sucesso é a multidisciplinaridade. “Não escolha sócios e colaboradores que façam exatamente o que você faz bem. Foque em pessoas com habilidades e competências diversificadas, desde a escolha dos sócios até o time de colaboradores.

Foco no financeiro e em marketing e vendas

O tamanho da sua empresa não pode impactar o seu foco em estratégias consolidadas de marketing e vendas. Para Teixeira, as pequenas empresas são justamente as que devem reforçar ainda mais em seus canais e estratégias de venda para um pontapé inicial rumo à estruturação da marca.