Home office: o que a minha empresa ganha com esse modelo de trabalho

Share:

Conheça as vantagens de aplicar o trabalho remoto no dia a dia da sua empresa


Os limites entre casa e trabalho foram totalmente reconfigurados com a chegada da pandemia no Brasil. Em questão de meses, os brasileiros se viram diante de uma realidade até então não tão popular: a do home office. Hoje, 70% da população já expressa a preferência pelo modelo de trabalho remoto até, pelo menos, o final de 2020, diz uma pesquisa da USP.

Esse novo contexto também impactou a maneira como os trabalhadores olham para as relações de trabalho e para os benefícios oferecidos por empresas em processos de contratação. Uma pesquisa da Robert Half mostra que 61% das pessoas não avaliariam mais propostas de emprego que não incluíssem o home office, mesmo que de forma parcial. 

Logo no início da pandemia, o QuintoAndar, startup unicórnio focada em locação de imóveis, implementou o home office para 100% de seus colaboradores. De forma repentina, a empresa comunicou que o escritório ficaria fechado por um dia – e esse prazo se estendeu. Tivemos que adaptar nossos rituais, ferramentas, processos etc, literalmente, do dia para a noite. Com a evolução da pandemia, decidimos estender o home office até o final do ano, momento em que definimos formas mais definitivas para apoiar o time a equipar suas casas para o trabalho remoto”, conta a Diretora de People do QuintoAndar, Erica Jannini.

Do ponto de vista do trabalhador, o home office tem inúmeras vantagens. Ganho de produtividade e flexibilidade são os pontos mais comuns apontados por 80% dos brasileiros, segundo estudo da startup Pulses. Economia no tempo de deslocamento e maior equilíbrio entre vida pessoal e profissional também aparecem como benefícios de se trabalhar em casa de forma definitiva.


O que a empresa ganha com isso?


Antes de mais nada: diferencial competitivo. Em um contexto em que a grande maioria da força de trabalho já reconhece o home office como requisito básico em uma proposta de emprego, empresas que não se adequarem a isso estarão defasadas

Decidir por manter um ponto fixo para encontros também é algo vantajoso do ponto de vista estratégico. Muitas empresas passarão a ter escritórios não para o expediente de trabalho, mas sim para treinamentos, reuniões e encontros estratégicos. Nesses casos, o espaço fixo será um diferencial entre as empresas.

O home office também permite às empresas enxugar custos fixos como aluguel e estacionamento, e despesas estruturais como rede de computadores, internet e até mesmo custos com água e energia elétrica. Colocar parte de seus funcionários para trabalhar de casa também reduz as despesas com pagamentos de profissionais de manutenção e limpeza dos escritórios.

Muito além das vantagens na gestão financeira, o teletrabalho também abre espaço para novos padrões de gestão de pessoas. Com os relatos de ganho de produtividade, as empresas passaram a enxergar o formato como benéfico na entrega de resultados. “O trabalho remoto impulsiona uma cultura focada em resultados dada toda a flexibilidade e liberdade que o modelo permite. Com isso, também vem uma possibilidade de alocar tempo que antes era gasto em coisas como deslocamento em momentos de qualidade com a família, por exemplo”, explica Erica.


Como aplicar um bom home office na sua empresa

Para implementar uma cultura remota de sucesso, alguns pontos merecem atenção, como a possível necessidade de adequação dos benefícios ofertados aos colaboradores.

No QuintoAndar, foram criados canais de apoio médico e psicológico, guias de reuniões remotas e orientação com dicas sobre equilíbrio entre vidas profissional e pessoal. “Adotamos um grande conjunto de ações para todos – pessoas e empresa – passarmos por esse período da melhor forma possível”, conta Erica.

Na Hotmart, plataforma online de venda de produtos e serviços digitais, o home office veio acompanhado de uma série de benefícios adicionais, para complementar as novas necessidades dos colaboradores. “Para tornar os dias um pouco mais leves e confortáveis, disponibilizamos mesas e cadeiras para quem não tinha um espaço confortável para trabalhar em casa, uma ajuda de custo para despesas com energia elétrica, sessões de terapia à distância, eventos online como aulas de yoga, fitness e atendimento com profissionais como pediatras para os colaboradores que possuem filhos”, conta João Pedro Resende, CEO da Hotmart. 

Manter os níveis de agilidade e produtividade também requer atualização de tecnologias e sistemas operacionais. Investimentos em segurança cibernética e plataformas digitais mais modernas. “Infraestrutura, com certeza, é um desafio. Enquanto no trabalho presencial a gente dependia apenas das redes e equipamentos dos nossos escritórios de São Paulo e Campinas, no trabalho remoto, dependemos da internet e da infraestrutura das casas de cada um dos nossos mais de 1.000 colaboradores”, diz Erica.

Para Resende, é preciso ter atenção especial a novas regras de trabalho, conscientizando equipe e liderança. Essa é inclusive, uma das principais imposições para se decidir pela aplicação do trabalho remoto – ou não. “O principal obstáculo é adaptar a cultura da empresa a esse modelo, incluindo o comportamento da liderança. Em muitos locais, a tradição do comando e controle traz a presença física e a dedicação de tempo como métricas de dedicação”, diz.

Erica concorda que há a necessidade de toda uma mudança de mentalidade e alinhamento. “O modelo pode gerar economias em termos de logística e infraestrutura, mas é importante tomar cuidado com a “tentação” de adotá-lo só por isso. Há muito mais complexidade por trás do que só custos”, diz. “O trabalho remoto é um modelo complexo, que exige uma transição cuidadosa para evitar perda de produtividade, capacidade de inovação e alinhamento cultural”, explica. Um dos principais desafios está relacionado a gestão do tempo e sobrecarga de trabalho. Em relação à sobrecarga de trabalho, é importante que empresas e gestores respeitem os limites de horário, agendamento de reuniões e intervalos pré-estabelecidos com seus funcionários como parte de um novo manual de conduta.

Vale mencionar que é necessário reforçar processos de comunicação interna. Com o distanciamento, fica mais difícil a transmissão de mensagens. Para que os canais de comunicação. Para isso, empresas podem implementar os processos que julgarem mais condizentes: planilhas, reuniões semanais para buscar alinhamento. É importante que sejam estabelecidos parâmetros para mensuração de resultados, mas também da satisfação de todos e para mapeamento de melhorias.