A receita de um pitch de sucesso: confiança, informações essenciais e ir direto ao ponto

Share:

Como o empreendedor deve se preparar para apresentar o pitch do negócio para investidores e clientes.


Pitch é uma espécie de apresentação curta e direta, ministrada por um empreendedor de startup, que tem como objetivo apresentar o negócio e vender a ideia dele para um investidor ou um cliente. Um dos maiores desafios do pitch é ir diretamente ao ponto, sem deixar de abordar os aspectos mais importantes da empresa. Em linhas gerais, no pitch, o empreendedor deve justamente explicar, em pouco tempo, os diferenciais da empresa, do produto ou serviço, tipo de mercado, público-alvo, entre outros dados. Além disso, deve falar sobre tudo isso de forma que desperte o interesse para seu produto ou serviço.

Há algumas informações que não podem faltar em um pitch. Frederico Pompeu, head do boostLAB (hub de negócios e potencialização para empresas de tecnologia do BTG Pactual) enumera as principais: problema, solução, diferenciais, mercado, tamanho do mercado, benchmarks, números, estratégia de crescimento, métricas financeiras, time e investimento.

Como se preparar para a apresentar o pitch

Para o empreendedor que tem dúvidas sobre como se preparar para a apresentação, Pompeu deixa claro que um pitch de sucesso não depende de um arquivo de Power Point, mas de passar confiança e credibilidade. “Ninguém melhor que o empreendedor para saber sobre seu próprio business e sua estratégia de execução e crescimento. Ele tem a obrigação de ‘saber de cor’, de trás para frente, todos os detalhes da companhia”, afirma.

Ele destaca que saber exatamente qual é a estratégia da companhia, quem são os clientes, qual problema seu produto ou serviço resolve e o diferencial do seu negócio são critérios essenciais para construir um pitch de sucesso. Pompeu sugere que o empreendedor “faça a si mesmo algumas perguntas como, por que um cliente compraria meu produto/serviço e não o do concorrente? No que é melhor? E pior?”.

Ainda durante a apresentação, o especialista explica que é fácil perceber o quanto um cliente ou investidor está interessado. Basta o empreendedor também responder a si mesmo as seguintes questões: “Quais foram as perguntas que me fizeram? Tem ligação com o pitch que acabei de realizar ou esqueci alguma informação essencial?”.

Clientes e investidores

Há diferenças entre os pitches para investidores e para clientes. Pompeu explica que, no pitch para investidores, o principal objetivo é mostrar que o time é capaz de executar um determinado crescimento, dado o tamanho do mercado a ser explorado através do seu produto/serviço diferenciado. Já no pitch para clientes, o foco deve ser no problema que a empresa resolve, produto, diferenciais, principais clientes e custos. Nesse caso, a principal intenção é vender o produto ou o serviço. “Não precisa conter, necessariamente, informações financeiras da companhia”, esclarece.

É sempre importante o empreendedor ter referência para ser o mais assertivo na hora de montar o pitch. Pompeu cita como exemplos de cases de sucesso os pitches da Brex ou as apresentações da Apple nos lançamentos dos seus novos devices. “Quatro pilares precisam estar sempre presentes: clareza, transparência, foco e objetividade. E pessoas, sempre!”.