Pequenas e médias empresas apostam em contratações temporárias para final de ano

Share:

Mercado para empregos temporários em 2020 ainda terá grande relevância entre as PMEs


Em épocas sazonais como o final de ano, as contratações temporárias são uma estratégia para lidar com o aumento do consumo no varejo. Em 2020, com a pandemia, a empregabilidade será a menor em quatro anos, segundo dados da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Ainda assim, o número de vagas temporárias para este ano, apenas para a região de São Paulo, será próximo de 23 mil, de acordo com dados da Federação de Comércio.


A queda nas projeções segue a lógica contrária no sul do país, por exemplo. A Federação do Comércio do Paraná estima que 25,5% das empresas do setor terciário irão empregar funcionários temporários neste fim de ano, um aumento de 16,6% em comparação com o último ano.  

“O final de ano é a época de maior contratação no varejo, e as contratações iniciam em novembro por causa da Black Friday. Nas regiões que há turismo, as contratações se estendem até fevereiro”, diz Patricia Soares, gestora de recrutamento e seleção na Grupo SP Recursos Humanos, agência de empregos voltada a contratações temporárias nacionais no setor varejista.

De acordo com uma empresa de recrutamento e seleção, a recolocação de muitas pessoas no mercado de trabalho tem sido impulsionada pelo setor de logística. Entre setembro e outubro de 2020, a oferta de vagas foi 52% maior do que no mesmo período do ano passado devido ao setor. Atualmente, são 2.700 vagas abertas no estado de São Paulo, destas, 37% são em logística.

Para as empresas, a vantagem está em não ter vínculo com o colaborador, o que implica em não ter responsabilidade de administração desses funcionários, em processos admissionais ou rescisórios. No caso das vagas operacionais, o preenchimento das vagas acontece de forma rápida. “Temos uma reposição rápida e isso ajuda a suprir a necessidade momentânea e urgente da empresa”, diz.

Sob o ponto de vista do trabalhador, Patricia explica que os contratos temporários são positivos. “O colaborador sabe que, estando na empresa, as chances de ser visto e contratado no caso de uma vaga fixa é bem maior”.


Devo contratar funcionários temporários na alta temporada?

De acordo com a especialista, a contratação de funcionários temporários depende de conhecimento mais profundo do empresário sobre o próprio negócio. “De maneira geral, os lojistas costumam entender quando o negócio terá uma maior movimentação e precisará aumentar a mão de obra para suprir a demanda”, explica. Esse reflexo acontece sobretudo nas empresas varejistas. Contudo, fornecedores também devem estar atentos ao período de fim de ano, sobretudo Natal. “Empresas que têm produtos que têm relação com a data também precisarão desse reforço de mão de obra temporária”, diz.

Além disso, ao levar em consideração a possibilidade de contratar funcionários temporários, as pequenas e médias empresas devem se lembrar de que o contrato pré-determinado também incide na obrigação de cumprir com questões trabalhistas como contribuição previdenciária, fundo de garantia e férias proporcionais.

Para a temporada de 2020, espera-se que novo segmentos que passaram por alta na pandemia, tal como e-commerce e supermercados também empreguem um maior número de pessoas.