O poder das redes sociais para pequenas e médias empresas

Share:

Entenda como usar as redes sociais para fortalecer a sua marca, facilitar as vendas e competir no mercado


Francine Rosset é publicitária e abriu uma loja virtual de bijuterias e acessórios divertidos durante a quarentena e viu as vendas dispararem exponencialmente nos últimos meses. Ela notou um aumento na busca por itens mais ‘alegres’. “Minha primeira postagem aconteceu em junho, e em menos de uma semana eu vendia sem precisar fazer nada”, conta.

A My Kind of Egg nasceu da necessidade de Francine de exibir os produtos para amigos e familiares que tinham interesse pelos itens. “O que começou como uma brincadeira, acabou virando um negócio e ganhou força graças às redes sociais”, conta. Hoje, a loja exibe e vende acessórios pelo Instagram e e-commerce, tem mais de 3 mil seguidores e já foi citada em publicações relevantes de moda.

 

A My Kind Of Egg comercializa acessórios divertidos pelo Instagram e já tem mais de 3 mil seguidores. (Foto: Divulgação)

Francine conta que a My Kind of Egg tem planos de expansão para um futuro próximo, que já contemplam inclusive parcerias com influenciadores digitais e presença em lojas multimarca. “Não pretendo nem mesmo abrir uma loja física, pois acredito que as redes sociais vieram para ficar, e a tendência é isso crescer cada vez mais e permitindo que minha marca seja presente e omnichannel”, diz.

Principais tendências para o futuro


A história de Francine exemplifica na prática um dado relevante sobre a transformação digital entre as PMEs. De acordo com uma pesquisa do Sebrae, mais de 70% das pequenas empresas já fazem uso das redes sociais – entre elas o Facebook e WhatsApp – como ferramenta para gestão do negócio.

Ter uma página em diferentes plataformas já se tornou uma estratégia de negócio indispensável para empresas. Muito além de compreender que deve estar presente nestas redes, o empreendedor deve ter consciência de como explorar os recursos indispensáveis de cada uma delas, segundo Rodrigo Helcer, CEO da Stilingue, startup brasileira de monitoramento online e de redes sociais.

Comunicação personalizada
Como ferramentas de marketing, cada rede social deve ser vista como um meio diferente para se atingir resultados, segundo Helcer. Para isso, a primeira dica é a atenção à comunicação utilizada em cada um dos canais. “A mensagem pode ser a mesma, mas a maneira de comunicar com o público deve obedecer alguns padrões para cada um dos canais”, explica.

Interação com os mais jovens
A percepção de que a presença digital pode ser constantemente impactada por novas tendências – e até mesmo preferências do público – também é vital para o empreendedor não fique desatualizado quando falamos em perfis em redes sociais. “Para os mais jovens, por exemplo, a relação entre marcas passa a ser uma prioridade e também passa a acontecer nos canais digitais, do pré ao pós-venda, e essa é uma tendência que norteará outros públicos”, diz.

Para Helcer, empresas devem partir do princípio de que o consumidor não é apenas um número, mas sim um conjunto de opiniões, interações, sugestões e reclamações em diferentes canais. Para um cenário de pós-pandemia, Helcer aponta algumas ações já em desenvolvimento – e que irão crescer em importância nos próximos anos. A primeira delas é o relacionamento cada vez mais próximo entre o público mais jovem e marcas no ambiente digital.

Segmentação do público

A segmentação do público também é uma realidade cada vez mais comum, segundo o especialista. “Hoje, o empreendedor pode segmentar suas divulgações de diversas formas nas redes e, com um baixo investimento, vejo como chegar ao público que almejo com maior chance de acerto”, explica. Os anúncios em redes sociais devem, portanto, ser inteligentes e “As empresas devem compreender que estão entrando em uma conversa entre vários agentes sobre um mesmo assunto, e não apenas veicular anúncios.

“As redes sociais, para o empresário, irão repercutir em uma geração de receita que virá cada vez mais da geração de pedidos, e não de vendas vindas de geração de leads”, diz. “Hoje, elas [redes sociais] se tornaram grandes mercados livres e shopping centers”, conclui.

Para as pequenas e médias empresas, investir em uma boa comunicação com o público e usar das redes sociais para se consolidar no mercado representa um grande avanço de estratégia comercial e de negócio. É preciso estar sempre atento às novas tendências e novidades do mercado para manter a empresa relevante e atualizada.