Por que as pequenas e médias empresas devem migrar para o Mercado Livre de Energia

Share:

Conheça as vantagens de fazer a migração para o Mercado Livre de Energia com o BTG+ business


A mais recente onda de migração do Mercado Regulado para o Mercado Livre de Energia está acontecendo exatamente hoje, enquanto você lê este texto. As protagonistas dessa onda são as pequenas e médias empresas. 

Antes de acontecer a segunda onda, o BTG+ business já havia se inserido nesse mercado e segue presente há mais de dez anos, como informa Manuel Gorito, sócio e diretor da área de energia do BTG Pactual. Tudo aconteceu quando identificaram essa discrepância entre os preços de energia do regulado e do mercado livre e viram uma possibilidade de ajudar os clientes.

Para o BTG+ business, a migração das PMEs para o Mercado Livre de Energia não é apenas um processo operacional, mas uma parceria de longo prazo, que trará para as PMEs muitos benefícios. Além de uma economia de até 30% na conta de luz, as empresas vão poder contar com uma assessoria do banco com desconto na taxa de gestão que pode chegar até 100%.

“O banco tem uma tradição no mercado de energia em diferentes segmentos, como o de geração, transmissão, distribuição e comercialização. Esta última é o segmento no qual a gente atua junto a esses consumidores no Mercado Livre, já que possuímos a maior comercializadora independente do país”, afirma Gorito.

Como é o processo de migração?

Primeiro, há um perfil específico para a empresa que vai ingressar no Mercado Livre de Energia. Precisa ser um consumidor de alta tensão e ter pelo menos uma demanda contratada de 500 quilowatts. Na prática, isso significa que empresas que tenham uma conta de luz mensal de no mínimo R$ 50 mil/mês têm altas chances de serem elegíveis para migrar para o Mercado Livre.

O processo de migração inicia com uma análise da conta de luz realizada pelo BTG+ business, que faz um estudo de proposta e, em no máximo dois dias, o cliente interessado recebe um retorno. Normalmente, é preciso notificar a distribuidora de energia pelo menos seis meses antes do tombamento, que é quando ocorre a migração de fato.

Após a assinatura do contrato, o cliente já passa a contar com uma assessoria de migração para o Mercado Livre de Energia e segue com esse apoio por todo o período do contrato, ou seja, é uma relação de parceria.  As empresas que migram para o Mercado Livre, dentro da proposta de trabalho do BTG+ business, não têm praticamente nenhum custo e contam com um desconto garantido em tudo o que teriam que pagar no Mercado Regulado. 

Depois de comunicar à distribuidora, vem o processo de adequação, que significa trocar o tipo de medidor. Aquele reloginho que fica rodando e mostrando o quanto você consumiu é substituído por um aparelho que transmite a migração em tempo real para a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Somente depois da troca do medidor e de feitas todas as modificações solicitadas pela distribuidora, o cliente está apto a fazer a adesão ao Mercado Livre.

Quanto ao tempo necessário para o desconto aparecer, Gorito explica que existe uma data específica vinculada ao contrato do cliente com a distribuidora, permitindo a realização da migração. Então, não há uma data específica. “Trata-se de uma data variável, que depende de qual momento haverá a notificação à distribuidora avisando que a contraparte vai querer trocar o seu provedor de energia”, esclarece o especialista.

Em caso de problemas técnicos ou de infraestrutura, como queda de energia ou falta de luz, por exemplo, o contato continua sendo com a distribuidora, já que ela é a responsável pela entrega da energia ao cliente e é remunerada para prestar esse serviço.

Por que escolher o BTG+ business para fazer a migração?

Uma das principais vantagens do consumidor do Mercado Livre de Energia é a flexibilidade, que se desdobra em três pilares: preço, volume e tipo de energia. Então, a empresa pode pagar por uma energia mais barata e ainda escolher ser abastecida por fontes de energias renováveis, como solar, hídrica e eólica, que contribuem para um mundo mais verde. “O BTG+ business ajuda o seu negócio a ter acesso à energia limpa e mais barata, com até 30% de economia na conta de luz e até 100% de desconto na taxa de gestão no Mercado Livre”, detalha Gorito.

Além disso, segundo o especialista, o BTG+ business garante um serviço completo de migração, que se encarrega de toda a interação com a distribuidora, com suporte integral durante todo o processo, sem nenhum custo. “Nosso objetivo é oferecer um produto que ofereça não só um desconto, mas também uma assessoria com uma condição bastante vantajosa”, ressalta.

A comercializadora de energia está dentro da estrutura do BTG Pactual, cujo patrimônio total é de quase R$ 30 bilhões, essa solidez patrimonial permite fazer operações com grandes volumes no Mercado Livre, provendo liquidez a todos os clientes. Com esse cenário de maior tranquilidade, é possível dar um prazo maior para o cliente pagar, oferecendo uma curva de energia mais barata no começo e mais cara no final, de tal forma que haja um financiamento implícito.

Por fim, Gorito resume como os principais motivos para escolher o BTG+ business para realizar a migração para o Mercado Livre a economia e a obsessão em encantar seus clientes. “Conosco é certeza de uma parceria de longo prazo”, conclui.