Serviços por assinatura: conheça essa tendência de mercado

Share:

Startups ganham destaque em diferentes segmentos na modalidade as a service.


“As a service”: você já ouviu falar desse termo? Trata-se de uma verdadeira tendência no mundo dos negócios, em que as empresas oferecem a assinatura de serviços com os benefícios do produto ao invés de incentivar a compra e posse de ativos.

Por exemplo, o cliente que deseja dirigir hoje um carro 0 km não precisa comprá-lo. Basta pagar uma mensalidade para usar o automóvel e suas vantagens pelo tempo que quiser. Essa é a proposta da Flua!, empresa de mobilidade recém-lançada da Fiat, que se une a outras de segmentos diversos na oferta de serviços por assinatura.

Conheça mais sobre as 5 recentes iniciativas nesse mercado:

Flua! (car as a service)

A Flua! oferece carro por assinatura: o cliente escolhe um entre dez modelos de carro para utilizar por 12, 24 ou 36 meses, a partir de R$ 1.350 mensais. Além de personalização de cor, quilometragem e opcionais, a assinatura inclui documentação, seguro, manutenção e assistência 24 horas.

Fábio Siracusa, Head de Operações da startup, explica que se trata de um novo modelo de negócio para atrair um novo perfil de público. “Um cliente que deseja ter sempre um carro novo, soluções de conveniência na palma da mão com o aplicativo, agilidade ao otimizar o tempo, previsibilidade de custo, além de confiança, com intermediação direta da Fiat e da Jeep”. Ele ainda comenta que o retorno do público já tem sido positivo, com 87% dos clientes promovendo a marca em pesquisas de satisfação.

ZiYou (fitness)

Marcio Kumruian, fundador da Netshoes, foi quem idealizou a ZiYou, primeira startup que oferece assinaturas mensais de equipamentos de academia, como esteiras, bikes e estações de musculação – entregues diretamente na casa do cliente, com planos a partir de 149 reais. “Por meio do modelo de assinatura, conseguimos tornar produtos de altíssima qualidade muito mais acessíveis, pois não há o alto custo de aquisição do aparelho e ele ainda pode ser compartilhado por mais pessoas que moram juntas”, explica.

Para Marcio, o modelo é mais democrático e flexível para dar liberdade às pessoas. “O cliente pode trocar o equipamento ou devolvê-lo a qualquer momento, e isso é muito mais atrativo e adaptado a um novo comportamento da sociedade”.

Solar21 (solar as a service)

Energia solar por assinatura também já é uma realidade neste mercado. De acordo com Vinicius Ferraz, CEO e fundador da Solar21, energia sempre foi um serviço e a empresa nasce para resolver o problema do alto investimento e da burocracia para contratar energia limpa.

“Hoje nosso cliente consegue ter energia solar de forma totalmente acessível, por contratação 100% online, sem precisar investir 1 centavo, e ainda produzir energia limpa e barata através do sol. Um cliente residencial, por exemplo, com uma conta de luz de 500 reais, precisaria investir cerca de 25 a 30 mil reais num sistema solar. Na Solar21, ele poderia contratar o plano por 300 reais ao mês e economizar até 30% na conta de luz, sem se preocupar com manutenção, seguro ou troca de peças”.

Leia também:

WeWork (space as a service)

No Brasil desde 2017, a WeWork oferece espaços de trabalho flexíveis para pessoas e empresas de todos os tamanhos. Segundo Lucas Mendes, Diretor Geral da WeWork no país, a digitalização do mercado imobiliário acelerou a demanda e o lançamento de dois novos produtos que já estrearam nos Estados Unidos e que, em breve, devem chegar aqui: o All Access e o On Demand.

“O All Access é uma associação mensal que permite reservar espaços durante o horário comercial e o On Demand permite aos não-membros da WeWork reservar espaços por dia ou salas de reunião por hora, diretamente pelo nosso aplicativo”. Em uma base proporcional, ele informa que as reservas para o 1º trimestre de 2021 estão atualmente em ritmo para aumentar 52% em relação ao trimestre anterior, e a aquisição de usuários em 69%.

Housi (housing as a service)

Depois do sucesso do QuintoAndar, que se transformou em uma empresa Unicórnio ao atuar como uma imobiliária digital, empresas mais novas surgiram neste segmento, como é o caso da Housi. A startup oferece moradia por assinatura de forma digital, com contratação mensal por aplicativo ou pelo site, como uma alternativa à compra de um imóvel.

O serviço inclui o acesso a toda a mobília, utensílios, eletrodomésticos e enxoval, além de limpeza e manutenção. Caso haja interesse, o cliente ainda pode trocar de moradia dentro da assinatura vigente.

Soluções inovadoras

Criar soluções para substituir a compra de um produto pelo uso de um serviço é tendência no mundo todo e vale a pena ficar de olho nessas inovações.

E dentro desse universo de iniciativas, você sabia que o BTG+ business pode te ajudar no processo de migração para o Mercado Livre de Energia? Com a gente, você economiza até 30% na conta de luz e 100% na taxa de gestão. Saiba mais aqui.